Acesso Cliente Verti

:(

Versões antigas e desatualizadas de navegadores têm problemas de segurança e não acompanham os novos padrões da web. Ao acessar com seu navegador desatualizado, alguns recursos do site não terão funcionalidade.

Por favor, atualize seu navegador.

A inadimplência em condomínios é um dos assuntos que mais tira o sono do síndico, pois além de prejudicar o fluxo de caixa do condomínio, pode gerar desgastes entre ele, o inadimplente e os outros condôminos.

Sem dúvida alguma é um dos principais problemas na administração condominial.

A particularidade nesse caso é que os condomínios não têm fins lucrativos, isso significa dizer que tudo o que é arrecadado é para a quitação das despesas.

Por isso, faz-se necessário a arrecadação da cota condominial em dia.

Uma vez que o percentual de inadimplência é elevado, os problemas financeiros aparecem.

Além disso, quando a questão não é bem administrada, é comum surgirem desgastes e conflitos entre as partes.

O assunto é delicado, mas necessário paciência e bom senso para conduzir a situação.

Cabe ao síndico, jogo de cintura e um bom controle dos gastos do condomínio.

Acompanhe a leitura e saiba quais são os principais problemas quando a inadimplência aumenta e o que pode ser feito para resolver a situação da melhor maneira possível.

Quais são as principais causas da inadimplência da cota condominial?

A maioria das pessoas que estão em situação de inadimplência não estão inseridas nesse contexto porque querem. Geralmente isso ocorre por motivos de desemprego ou de diminuição da renda.

É importante procurar identificar qual é o tipo de devedor e, a partir daí, tratar individualmente cada caso.

Se for uma situação de inadimplência momentânea, um acordo amigável geralmente resolve a situação.

Mas há também os descompromissados que se endividam “por esporte”, vamos dizer assim.

Fazem isso com frequência. O condomínio é só mais um credor numa lista imensa de credores que esperam a boa vontade dessas pessoas honrarem seus compromissos atrasados.

Neste caso, uma proposta de acordo amigável talvez não seja o suficiente para resolver o problema. Sendo assim, outras medidas poderão ser tomadas (tudo dentro da lei, é claro), como veremos no decorrer deste artigo.

Quais são as consequências da inadimplência em condomínio?

Quando a inadimplência extrapola o limite aceitável estipulado no orçamento do condomínio, alguns problemas surgem. Os mais comuns são:

  1. Prejuízo no fluxo de caixa. Vale ressaltar que a fonte de receita do condomínio é o valor pago pelos condôminos através das cotas condominiais;
  2. Aumento da cota condominial para os condôminos adimplentes, com o intuito de cobrir a insuficiência de caixa;
  3. Consumo do fundo de reserva condominial para cobrir o saldo deficitário;
  4. Manutenções preventivas podem deixar de ser realizadas e apenas as corretivas são feitas. Ou seja, por conta dos recursos escassos, o patrimônio deixa de ser cuidado de maneira preventiva e passa a ser restaurado apenas no momento em que se torna quase obsoleto;
  5. Desgastes e atritos com o inadimplente.

E quando esses problemas surgem, o que fazer?

O que fazer para resolver o problema da inadimplência?

A melhor maneira de resolver o problema da inadimplência condominial é o diálogo.

É necessário conscientizar o inadimplente com relação às consequências que o não pagamento da cota condominial traz ao condomínio e aos condôminos.

É importante sempre buscar a conciliação entre as partes, e, se for possível, convergir em um acordo amigável para resolver o problema da inadimplência.

O síndico deve evitar se indispor com o devedor, por isso, cobranças em público não devem acontecer de maneira nenhuma.

Da mesma forma, colocar os inadimplentes em uma lista e divulgar aos demais condôminos. Isso vai aumentar ainda mais o problema.

Afinal, o que fazer quando o diálogo não for suficiente para resolver o problema da inadimplência?

Quando a conversa não for suficiente para resolver o problema da inadimplência, outras medidas podem ser tomadas como, por exemplo, a cobrança extrajudicial e o ajuizamento da dívida.

O ajuizamento da dívida ou cobrança judicial também é viável, mas deve ser a última das possibilidades, tendo em vista que é mais um custo para o condomínio.

Além disso, tende a desgastar ainda mais a relação entre credor e devedor.

O que o síndico pode fazer para contribuir na redução da inadimplência em condomínios?

O síndico deve adotar duas principais medidas.

Em primeiro lugar, manter um bom controle das finanças do condomínio. Para isso, ele deve usar o App/portal da Verti. Nele há uma área de finanças com recursos que permitem o síndico acompanhar mensalmente a saúde financeira do condomínio.

São recursos fáceis de utilizar e que possibilitam a verificação de como andam as contas do condomínio. Saiba mais em nosso artigo sobre o Portal de gestão condominial da Verti Administradora.

Em segundo lugar, ter uma postura conciliadora. Ele deve conscientizar os condôminos inadimplentes da importância de manter o pagamento da cota condominial em dia. Além disso, buscar sempre a conciliação amigável entre condômino e condomínio, com vistas a solucionar o problema da melhor maneira possível.