Já existe em seu condomínio a prática do ESG?

Facebook
Twitter
LinkedIn

Hoje em dia, quando o assunto é condomínio, não dá mais para deixar de falar em sustentabilidade, gestão eficiente e responsabilidade social. Todos nós, moradores somos grandes consumidores de água e energia, além de gerar elevadas quantidades de resíduos orgânicos e inorgânicos. E para isto, a prática do ESG é inevitável.

ESG vem da sigla em inglês: Environmental, Social and Governance. traduzindo significa Ambiental, Social e Governança.

Nos últimos anos esta tendência ganhou força no meio corporativo e veio para ficar. Entende-se que o condomínio é como uma empresa a ser gerida, e que necessita de estratégias e métodos para deixar seus clientes satisfeitos: os condôminos.

Neste artigo, vamos demonstrar a relevância da prática do ESG e dar algumas sugestões de como o síndico pode implementar esta prática em sua administração.

Como surgiu o ESG?

O mundo está em constante transformação e todos os setores precisam estar atentos a estas variáveis.

A ideia do ESG começou em 2004 com a publicação da “Who Cares Wins” (Quem se importa ganha). Essa publicação foi do Banco Mundial em parceria com o Pacto Global da ONU e 20 instituições financeiras de 9 países.

Esse conjunto de normas de boas condutas avalia se as empresas estão executando práticas sustentáveis, conscientes e com gestões adequadas e pertinentes.

O conceito do ESG no condomínio

Estas questões devem estar implementadas no condomínio. Os antigos prédios não foram construídos com esse pensamento, porém os novos, de antemão, precisam estar adequados a tais práticas.

Este debate necessita estar em pauta, periodicamente. O assunto jamais vai se esgotar tendo como consequência impactos futuros para a sociedade e o meio ambiente no qual vivemos.

O Environmental diz respeito aos recursos naturais e ao uso da energia.

O Social aborda questões relacionadas aos funcionários, colaboradores, inclusão e diversidades.

A Governance trata dos assuntos relativos aos bons hábitos de gestão e governança.

Como aplicar na prática, o ESG

Eis algumas dicas para implementar, precisamente, o ESG:

No princípio Ambiental (E)

  • Água
    • uso racional da água;
    • medidores individuais;
    • criação de sistemas que viabilize o reuso da água;
  • Energia
    • acompanhamento dos sistemas e consumo de energia dos equipamentos como elevadores e bombas;
    • utilização de lâmpadas de LED com sensores de presença;
    • investimento em energias renováveis, como a solar fotovoltaica;
  • Lixo
    • coleta seletiva;
    • reciclagem e coleta de óleo de cozinha, pilhas e baterias;
    • promover a conscientização sobre os descartes corretos de resíduos;
  • Meio-ambiente
    • criar hortas comunitárias;
    • cultivar áreas verdes;
    • investir em jardins.

No princípio Social (S)

  • melhores condições salariais;
  • proteção de dados e privacidade;
  • incentivar a prática de atividades físicas;
  • zelar pela segurança e proteção dos moradores;
  • promover boas condições de trabalho aos funcionários;
  • manter e fomentar uma relação respeitosa entre todos;
  • capacitar os funcionários com cursos de acordo com as funções;
  • incluir pessoas que estão no grupo das diversidades e deficientes.

No princípio da Governança (G)

  • valorizar o patrimônio com as manutenções preventivas e corretivas;
  • incentivar o conceito do que é ser um bom cidadão;
  • administrar de forma transparente e objetiva;
  • ter um conselho ativo e independente;
  • assembleias organizadas e produtivas.

Os benefícios da prática do ESG

Além de proporcionar uma qualidade de vida diferenciada, a prática do ESG, também vai gerar:

  • economia significante;
  • valorização de todo patrimônio;
  • melhor produtividade dos colaboradores;
  • maior adesão e participação dos moradores.

Percebeu de que modo a natureza, a ética, a tecnologia e a inovação influenciam diretamente em nossas vidas? Os impactos socioambientais positivos são inquestionáveis.

Para dispormos de um futuro melhor, dependemos das execuções “do hoje”. E não podemos ignorar isso. Estas transformações estão vindo em períodos cada vez mais curtos.

E para que isso funcione bem, a comunicação é a chave. Explique de forma clara e simples, aos moradores, as ações a serem tomadas.

Esta implementação da prática do ESG não será num curto prazo de tempo, por isso, tenha paciência e comece aos poucos. Persevere sempre! As pequenas mudanças serão notadas e a motivação será cada vez maior pelos resultados positivos.

A Verti tem uma equipe especializada para ajudar seu condomínio na implementação do ESG. Entre em contato com a gente.

Você já tinha ouvido falar disso? Gostou?

Compartilhe nos comentários abaixo.

Exclusivo para Clientes

Já possui cadastro?