Reciclagem – educação contínua no seu condomínio.

Facebook
Twitter
LinkedIn

A sustentabilidade, cada vez mais, é prioritária na vida de todos os brasileiros. Nos encontramos entre os dez países que mais desperdiçam alimentos no mundo.

Não se trata somente da questão de desperdício de alimentos, mas sim, tudo o que acompanha o alimento como papel, plástico, descarte de óleo, etc.

Para termos um mundo melhor e igualmente saudável devemos aprender a reciclar. Estamos falando de todo tipo de resíduo.

Conforme o critério de produção e origem, classificam-se em:

  • hospitalar (curativos, agulhas e seringas);
  • industrial (papéis, borrachas, cinzas, óleos, iodos, plásticos);
  • especial (entulhos de construções, podas de jardins e animais falecidos);
  • doméstico (plástico, papel, resto de alimentos, vidro, resíduos sanitários);
  • comercial (restos orgânicos e sanitários, papelão, plásticos, embalagens, papel).

E pensando em um convívio no condomínio, com muitos moradores, é preciso implementar boas práticas, resultando em grandes benefícios para a nossa sociedade.

Para isso, vamos destacar alguns processos de reciclagens que não são tão habituais e que, às vezes, passam despercebidos.

São eles: óleos, pilhas e baterias, lâmpadas, plásticos e livros.

Acompanhe cada tópico e entenda o processo de cada um.

Descarte do óleo

Não devemos jogar fora o óleo de cozinha na pia, vaso sanitário ou nos ralos.

O óleo não se dissolve na água, o resíduo se acumula nas paredes dos canos e retém outros materiais. Irá causar um entupimento com sérios problemas de manutenção nos canos e nas redes de esgoto.

Conforme orientação da Sabesp, após utilizar o óleo, deixe esfriar por pelo menos 30 minutos. Com a ajuda de um funil, coloque o material em uma garrafa de plástico e feche bem para evitar vazamentos, odores e insetos. Quando armazenar uma boa quantidade, leve as garrafas a um ponto de coleta.

Descarte de pilhas e baterias

As pilhas e baterias estão presentes em equipamentos e objetos utilizados no dia a dia como celulares, computadores, relógios, joystick, controle remoto etc. Eles podem causar graves danos ambientais por conter cádmio, chumbo, zinco e outras substâncias tóxicas.

Por isso é que não se deve misturar com outros tipos de resíduos.

Descarte corretamente no lugar específico de seu condomínio embalado de forma correta por meio de um material resistente ou sacola plástica.

Caso seu condomínio ainda não tenha, leve a um posto de descarte. Normalmente estes pontos se encontram em farmácias e supermercados.

Reciclagem de lâmpadas

Assim como as pilhas e baterias, as lâmpadas também fazem parte do nosso cotidiano. Basta queimar uma lâmpada para percebermos que elas fazem uma grande falta.

Habitualmente usamos 3 tipos de lâmpadas: as incandescentes (que estão fora de comercialização desde 2017), as fluorescentes e as LED. Sem dúvida, esta última é a mais sustentável entre as três.

Qualquer lâmpada que for trocada deve ser embalada em sacos grossos ou caixas. Também deve ser etiquetada para que o coletor manuseie o pacote de forma correta.

Caso não tenha um descarte coletivo de lâmpadas no condomínio, leve em pontos de coleta seletiva, geralmente, em casas de materiais de construção.

Não quebre as lâmpadas ao descartá-la pois isso pode causar acidente a outra pessoa ou perigo à sua saúde e de seus familiares.

Os plásticos e a logística reversa

O plástico é outro resíduo que faz parte do nosso cotidiano. Ele está nas embalagens, sacolas, garrafas, talheres, copos, na construção civil e em muitos outros objetos.

Lave bem as embalagens antes do descarte nos locais próprios. Se o seu condomínio não possui uma política de reciclagem, consulte seu síndico.

A reciclagem deve ser feita constantemente pois ele é o segundo resíduo que mais demora para se decompor, cerca de 400 anos. O vidro é o primeiro que leva aproximadamente mil anos.

A reciclagem do plástico passa por 3 processos: coleta e separação, revalorização e transformação. O segundo é quando o plástico reciclado volta a ser a própria matéria-prima, e o último quando o plástico reciclado gera um novo produto.

Esta revalorização e transformação vem da conscientização da logística reversa. Esta  dinâmica para melhorar a sustentabilidade vem da Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei 12.305).

Ela consiste “num conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada.”

A PNRS ganha força em todos os meios pois, além da economia sustentável, diminui custos para as empresas e propicia vantagens competitivas.

Reciclagem de livros

Talvez não percebamos, mas podemos ter uma biblioteca gerando poeira e ocupando espaço.

Livros, gibis, apostilas, revistas.

O que fazer? O mais comum é doar!

Existem várias empresas que fazem parcerias com os condomínios e vão até o local fazer a retirada.

Entretanto, separe apenas o que realmente pode ser aproveitado pois muitos deste material vão para escolas, instituições e ongs.

O que não for utilizável coloque para reciclagem.

Percebeu como é importante a reciclagem de uma maneira geral?!

Com um plano de educação para reciclagem temos:

  • criação de empregos;
  • diminuição no gasto de energia;
  • contenção dos gases do efeito estufa;
  • resguardo das fontes de matéria-prima;
  • redução de gastos com aterros sanitários.

Estes benefícios valem para todos! Vamos descobrir nosso potencial e cuidar do nosso planeta.

Leia também https://admverti.com.br/acoes-ambientais-sao-necessarias-para-o-condominio-voce-ja-fez-a-sua/

Gostou das dicas? Implemente você também no seu condomínio.

Exclusivo para Clientes

Já possui cadastro?