Acesso Cliente Verti

:(

Versões antigas e desatualizadas de navegadores têm problemas de segurança e não acompanham os novos padrões da web. Ao acessar com seu navegador desatualizado, alguns recursos do site não terão funcionalidade.

Por favor, atualize seu navegador.

Para manter a boa convivência e a qualidade de vida no condomínio, é fundamental adotar medidas para minimizar ruídos. Conheça algumas táticas modernas que podem ser aplicadas!

 

Com as mudanças de hábitos e comportamentos em função da pandemia de coronavírus, as pessoas têm passado muito mais tempo em casa. Quando se trata de quem vive em condomínio, a quarentena tem exacerbado ainda mais os conflitos relacionados ao barulho, um dos principais vilões da boa convivência.

Já para depois da pandemia, estão empresas, por exemplo, que implantaram o home office permanente, o que significa que este cenário pode perdurar no futuro. Isso sem contar que o próprio ambiente pode ocasionar ruídos incômodos, como aviões passando, ônibus que param em frente ao edifício, entre outros.

Por esses e outros motivos, é fundamental criar estratégias com o objetivo de manter a harmonia e qualidade de vida dentro do apartamento. Saiba quais são elas a seguir:

Tipos de barulho

Em um condomínio, o barulho é dividido em dois tipos. O aéreo que, como o nome sugere, se propaga pelo ar, como, música alta, aviões passando nas proximidades, crianças gritando ou pessoas falando.

Já o barulho de impacto, transmitido pela estrutura da construção, inclui, por exemplo, reformas, elevadores e passos com salto alto no andar de cima. Por serem mais difíceis de resolver, já que isso depende de como a acústica é tratada na obra, os ruídos de impacto são os que mais incomodam. No entanto, é possível tomar algumas medidas para minimizar ambos os tipos. Veja abaixo:

Paz no condomínio: ações inovadoras e eficientes

Confira algumas estratégias inovadoras, que podem ajudar a manter a paz entre os vizinhos e, ao mesmo tempo, ter mais sossego no dia a dia. Confira:

Boa vedação

Se o ar não tem por onde passar, o barulho não entra. Isso quer dizer que, quanto melhor a vedação do imóvel, mais silencioso ele será. Na prática, é possível investir em janelas eficientes, que podem frear aproximadamente 30 decibéis, o que equivale a um tijolo comum.

Outro recurso são os vidros duplos, que possuem uma camada de ar entre as folhas, impedindo de forma significativa a passagem do som.

Pisos acústicos

Para minimizar ruídos de um andar para o outro no condomínio, existem os pisos acústicos, que são instalados em placas e fabricados em madeira de alta resistência, podendo receber acabamento após a instalação. Nesse sentido, também há carpetes e os pisos flutuantes, que têm uma manta antirruídos por baixo. São ideias para ambientes normalmente barulhentos, como salas com home theater ou estúdios de música montados em casa.

Revestimentos em paredes e tetos

Para reduzir o barulho também vale adotar revestimentos acústicos nas paredes e tetos, que são fabricados em lã de vidro e utilizados em locais com drywall.

As portas também podem ser contempladas em um projeto acústico para o imóvel. Nelas, é possível adicionar um reforço com estrutura de MDF na parte interna, o que, apesar de causar perda de espaço interno, ajuda a abafar ruídos vindos do hall.

O isolamento acústico traz diversas vantagens para o conforto e a qualidade de vida.

Por meio do controle do barulho em condomínio, os moradores podem ser mais produtivos em casa, bem como cuidar da saúde, evitar conflitos e ter mais tranquilidade. Ou seja, vale a pena todo o investimento.

Gostou do nosso artigo? Tem alguma ideia ou já implementou alguma solução que deu resultado? Comente aqui!

Leave a Reply